Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2015

Ser de amor e de amor viver

BONJOUR mon cher's...
E de amor me tenho... E de amor eu vivo... E de amor lhe ofereço, o que com amor te sigo. Sigo porque de amor só sei viver... Vivo porque, só de amor quero ser.
Tão contundente e difícil conotar o amor, que chega a ser  poético dentro de mim... Amor de viver... Amor em viver... Amor em ser... Amor pra ser.
Ai de mim um dia se por carência do mundo o Amor deixar de existir... Acho que  eu teria fim.
Fim talvez porque viver é inventar  o seu dia... após o dia... É desconhecer-se da arrogância, de não acreditar que a vida pode  se fazer em abundância.
É exalar pura energia... É ter motivos de sobra pra se  entregar na ousadia. Ousadia essa de devolver sorrisos, conhecer mundos, e paraísos.
Desacelerar e apenas aproveitar o tempo...
Ser de amor e de amor viver.
CAFÉ ROSA| JULIANA RODRIGUES |

Viajante solitário

Um olhar divino? Não sei... Um poema contínuo, quero escrever... Dessas paisagens vistas, destas viagens contidas. Me questiono o que há por de trás daquela janela que vejo todos os dias... Os poetas de um cotidiano  sem som... sem rima... mas com lá menor. De planaltos, altos e baixos. Colinas que sei de cor.
Hoje eu acordei sentido as cores da vida... Hoje eu acordei pensando nas horas vivas... Senti o vento bater... Senti o relógio correr... E minha cabeça... hora lembra que eu esqueça... Que lá fora a chuva quer cair pra me dizer, que não somos perfeitos pra ninguém.
Ah! Não sei, as vezes vejo, mar... céu... teu beijo. Frases soltas pelo ar, fecho os olhos e notas...  rimas... começo a plugar. E lá se vai o sol bater... na fresta... brisa... quebra, quem dera, um gosto meu,  ser apenas... você.
SEDE FELIZ !!!
Bonjour mon cher's

Há um tempo escrevo "pensamentos", nos caderninhos da bolsa, e assim estes esquecidos lá... Começo então a compartilhá-los aqui.

Lá se foram p…

Ah! Aquela janela...

Bonjour mon cher's...
Desculpa a ausência, mas a vida anda tão corrida, e não estou tendo tempo para aparecer por aqui, mas vou tentar me reorganizar...

Olhar uma janela as vezes pode ir muito mais além do que uma abertura edificada, ou um vão de caixilhos... simplesmente pelo fato de se observar tudo e a todos, há muito o que enxergar.

Parafraseando os dias

Foto (produzida por um Smartphone) tirada da janela do carro em movimento | Cidade Noturna | Ribeirão Preto, São Paulo
Olhando para o distante, o que fica fora de foco e limita sua visão a de uma janela estreita... Orvalho? Ou Valho? Porta aberta. Noite fria. Manhã quente. Sou eu enfim. Mas qual janela não traz a surpresa de um novo mundo? Da janela de cá: papel... contas a pagar. Da janela de lá: calmaria... vento... céu azul... sol e mar. Visão? Ah! Visão... prédios, e prédios... talvez dentre eles uma janela colorida... e na janela uma flor... ou talvez um raio de luz que nos "reavive"... amarelo como girassóis no c…