Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2016

#Desabafo: Estamos ficando com preguiça de "socializar"

Bonjour mon cher's...


O quanto do que acontece a nossa volta nós perdemos por estarmos com os olhos grudados nas telinhas dos smartphones?  Quantos livros você leu nesses últimos 30 dias? Quantas vezes você pegou um jornal para foleá-lo? Quanto seu dia foi produtivo? Quantos cálculos seu cérebro fez hoje?
É com esses questionamentos que começo o papo de café de hoje. Já parou pra pensar o quanto de tempo perdemos digitando nossos desabafos, inquietações e alegrias, publicamente? Ou ainda expor de que jeito estamos no dia? Ou então perceber o quanto estamos conectados e não conseguimos sequer ler por horas aquele livro favorito, mas ainda assim ficar "abitolado" em uma telinha de 5,5", lendo bobagens atualizadas de 5 em 5 segundos. 
Essa facilidade e acessibilidade à tecnologia, nos transformou em verdadeiros "robozinhos", que tem sua vida controlada por uma mini-tela na palma da mão. A ideia de poder fazer tudo por um aparelhinho, é realmente incrível e fantástic…

A aurora da felicidade: Ensaio sobre ter sincronicidades

Bonjour mon cher's...
"Seguir em busca de um sentido em meio aos mistérios do nosso existir. Olhar para dentro, ser parte do todo, fluir. Ser uma faísca de luz no universo em expansão. Nesse emaranhado de conexões, se permitir vivenciar. Perceber a sincronicidade da vida, ser infinito no amar."
(Trecho extraído do blog rotina e rabisco, inclusive tem umas ilustração que achei puro amor) link do blog: http://www.rotinaerabisco.com.br/sincronicidades/ 

Sabe quando você está em casa, pensando em alguém, e de repente, o telefone toca, ou uma mensagem chega. Do outro lado, a voz que responde ao seu "alô" e o seu "olá", é a da pessoa na qual, estivera pensando? Ou ainda na noite da véspera do seu aniversário você sonha com determinada coisa (exemplo uma borboleta). Um dos presentes que recebe no dia seguinte, é algo em forma do que havia sonhado. Sem contar comentários e do nada o assunto acontece. É coincidências desse tipo já podem ou não, terem ocorrido …

Transição

Ela transita de um lado para o outro... Ai de mim, que dói assim. Desacreditar, e nem se quer dar o trabalho de por tudo no lugar. Ela se fechou da vida um buraco... Ai de mim, pensar assim. Esquecer de brincar e se apaixonar. Dá sorte perguntou do que era feito o coração, que amargo o doce lhe dava a sensação. De transitar de gosto em gosto, de se encontrar em seu posto. De trazer pra fora a liberdade que vigora. E ainda ser o que escondia, de uma antiga sinfonia. Deixou de lado o receio e foi viver seu contexto. Na tua encarnação... a minha conjunção...
Juliana Rodrigues CaféRosa

Estranho

Estranho é, ter inspiração mas não conseguir tirar os pés do chão. Estranho é, colocar as falas  e ainda assim perder as rimas. Estranho é, ter liberdade de dizer, e sentir medo de enlouquecer. Estranho é, conseguir gritar mas se esquecer de se olhar. Estranho é, aflorar tudo no peito e não ter coragem de encarar a  vastidão com jeito.  Estranho é, mergulhar em  barrancos, e não querer conhecer  folclores insanos. Estranho ainda é, descansar-se todo brando e acordar sempre sonhando. 
Juliana Rodrigues
Estranho é querer falar tudo e não querer dizer nada ... De uma mente em devaneio, eis uma estranha "falta" de inspiração. 
CAFÉROSA

Fome de Amor: carência afetiva, relacionamentos vazios, comportamentos estranhos

Bonjour mon cher's...


Recebi esse texto há algum tempo, mas ele nunca se tornou tão real, tão verdadeiro, tão presente, que resolvi compartilhá-lo aqui.  Há hoje uma certa carência afetiva. É impressionante como as pessoas hoje em dia estão confusas, perdidas sem saber como agir quando o assunto é amor, relacionamentos, fidelidade, comportamentos femininos e masculinos. Até parece que algo muito grave anda acontecendo. Mas acredito para tudo isso ter chego a este ponto, em que homens e mulheres sentem-se constantemente insatisfeitos, e assim vivem a procura de satisfazerem suas carências, é porque há um motivo anterior, que trouxe toda esta confusão. Certo ou errado culpar decepções antecedentes, não sei dizer. Mas uma coisa é certa, estamos cada vez mais distantes uns dos outros, e vazios de nós, nos tornando carentes afetivamente, com pouca autoestima sem contar os problemas em se relacionar uns com os outros. 

Texto autor desconhecido, recebi em um e-mail há alguns anos (ORKUT su…

Meraki

"Fazer tudo com amor"(1 Coríntios 16:14)
Bonjour mon cher's...


Devido a tantas pessoas virem me perguntarem o que é MERAKI, o por que de eu viver colocando isso e expondo em tudo quanto é rede social... Senti a necessidade de esclarecer e compartilhar, uma de minhas "filosofias" e coisas que tenho comigo, para que a vida em sociedade, vida pessoal, possam funcionar com um certo equilíbrio emocional, espiritual e até físico.
Etimologia:Merakiem grego moderno, significa fazer algo com amor, dedicação e criatividade, colocando a alma em tudo o que está prestes a realizar. 
Pode parecer meio óbvio fazer aquilo que se gosta, com toda a dedicação possível. Mas fazer com amor tudo e qualquer coisa? Nem todos conseguem. Esse talvez pode ser um privilégio ou até um preço alto, onde nem todas as pessoas estão dispostas a pagar. Mas venhamos e convenhamos, cada ser humano, sabe bem aquilo lhe convém... não é mesmo? Mas ai que está a graça de tudo... O ponto que entra a esco…

Uma Janela

Aniversariar é viver... Viver é abrir a Janela da alma, para se olhar a vida lá fora...
Nessa época, quando estamos perto conquistar mais uma "janela" da nossa vida, perto de agradecer nossas conquistas e renovar nossos desejos para essa próximo número, o qual chamamos de idade, é normal existir qualquer tipo de melancolia. É que abrimos a janela da nossa alma, para enxergar vidas lá fora. Com o olhar que vem do nosso EU de dentro, ficamos sabendo o que temos, mas também reparamos no que perdemos e ainda o que nunca tivemos. Há um universo secreto de cada um de nós... Há um poço de desilusões, sonhos, amores, desamores ou desconfiança. Podemos ter relacionamentos felizes, saudáveis e viagens em todas as férias, mas ainda sermos frustados no trabalho. Podemos ter um destaque na vida profissional e amigos para toda hora, mas o relacionamento feliz e saudável acabou e, junto com ele, foi-se embora toda a alegria do amor. A cada "level" alcançado, relembramos nossas dor…

A valsa da aquarela

Se por um instante Deus se esquecesse de que sou uma marionete de trapo, e que da vida me pertencesse um pedaço, talvez não vivesse com tanto pesar  e diria tudo que pudesse levar. 
Andaria quando os demais se detêm. Despertaria quando os demais se mantêm. Pintaria com um sonho de Van Gogh, e sobre as estrelas um poema pra longe. Regaria com as cores mais vastas o sonhar a liberdade dessa valsa.
Aos homens daria o desprendimento, soltar as amarras, esquecer o lamento. Vestiria todas as questões com simplicidade, com pincéis manchados, desenharia de novo a sociedade. 
Deus meu, se eu tivesse um pedaço de vida, desse papel não deixaria passar um só dia, sem poder dizer à gente que quero, e a aquela gente amar com exagero.
Tantas coisas aprendi de vocês, homens... tantas coisas conheci assim, das flores. Avistei o mundo do alto da montanha, coloquei em aquarela a felicidade estranha. Ouvi dizer que ali o sol nascia mais amarelo. E que a vida era doce e tinha gosto de caramelo.
O doce eu…

"Só-riso"

Vem cá, me dê um sorriso...
... me acorde só de riso.
Vem cá, me mostre a tua face...
... só me encante e me abrace.
Vem cá, se encosta e me aqueça...
... se enamora, mas não me esqueça.
Vem pra cá, aqui é o paraíso...
... vai ver, é disso que preciso.

De teu lugar,
gritar pra bem longe.
Do teu aviso...
de lá que é só riso.

Talvez este sorriso não seja pelo momento atual. Talvez nem o meu e nem outros sorrisos, todos aqueles jogados aos quatro ventos, sejam pelo presente. Alguns nem reais são. Talvez esses sorrisos são apenas uma esperança de um dia poder sorrir de dentro pra fora, e não de fora pra fora. Pode ser que esse sorriso nunca penetrou de verdade em nossos corações. Mas é feliz pensar, que cada um desses, já fizeram alguém sorrir de verdade. Faz bem ver que esse nosso sorriso, já pode ter feito alguém feliz e sorrir com o coração. Não é que esses abrir de sorrisos são máscaras para esconder nossos pesares. Mas os sorrisos que vemos, são como etiquetas em roupas de grife. Aq…

Outubro Carpe Diem - Alforria

"Outubro no teto, passos de pássaros, gotas de chuva..." - Paulo Leminsk 

Outubro mês de muitas cores, sabores, sensações e emoções... Mês que para os católicos, vem como o mês das missões, do rosário... De Nossa Senhora Aparecida. 

Mês de 23 motivos para viver-se de novo. 
Em 27 dias, porque já pulei dois... descrevo aqui as cores de Outubro... Em textos, rabiscos, o que o coração me propuser. Palavras sortidas, rabiscadas ao vento, que me dirão de você Outubro. Que seja um bom dia, todos os dias!!

Desfaça e me retrata...
Me pega e desapega...
Me corteja e despeja
Meus medos em seus receios...
Em teu colo...
me vê um galanteio...
No acordar da melancolia,
as ruas que me engolia.
E o breu do teu querer,
dá a minha alforria.


Que a felicidade seja o segredo e a coragem a essência... Bem vindo mês lindo 


CAFÉ ROSA | JULIANA RODRIGUES |

Entre notas e linhas

Me arrisco ao equilibrar sobre o risco.  Existe um risco.  Existe uma forma.  Um pedaço de papel, que eu apenas vesti.  Propus ali então a traçar, preto em branco,  lápis no lugar. Rabisco por traços, a montagem de um retrato.  Dou por mim a desenhar-te... qualquer coisa...  um esboço, rimas soltas, linhas a se despregar.  Tentei até colorir o céu de outra cor,  mas são os seus traços que eu sei de cór.  Nas mais puras linhas um dia te desenhei. Sonhei.  Esqueci, te conheci.  Entre as portas, um harmônico rosto,  que assim pronuncia: logo existe o meu espaço.  Eu toco então aquele rosto, este rosto, ah!  Aquele rosto. Que eu toquei com o carvão,  rasgando esta folha, debruçando em canções,  me estasiei.  Me mostrou as tuas rimas, tuas notas e linhas,  na sua vasta coleção de melodias.  Digo o teu nome. Mas que nome?  Ao menos sei tocar o lábio inferior,  pra dizer qualquer pronome.  Escuto as tuas marcas,  que soam com a mesma proposta.  De que hoje não invento-te como eu quero,  como eu gosto.

O intenso que me faz viver

É isso aí, para aqueles que já me conhecem, sabe o quanto sou intensa em meus apegos e desapegos. E aos que não me conhecem, bom deixa eu aqui me apresentar então. 

Bonjour, quem vos escreve é Juliana. Tranquila? Talvez. Equilibrada? Nem tanto. Profunda, funda? Sim aos prantos. Sou colorida, cheia e vazia. Inquieta, vibrante, impaciente. Tento ser o que eu não sou. As vezes sigo um padrão e que ao mesmo tempo, eu mesma o quebro. Sou um tanto tripla, exótica, excêntrica. Além disso, o oposto ao normal me atrai. Sou única, exclusiva, conectada, surreal. É posso ser conceitual, obscura, criativa, vivida, melancólica, dual, contraditória, vaidosa. Gosto de café, mas me derreto em um bom chá. Sou das artes. Sou da física. Sou da música. Sou da vida. Sou de sorrisos e abraços. Cheiros e beijos. Sou inverno. Sou verão. Sou as quatro estações divididas em frações. Sou um ponto de interrogação. De exclamação. Uma vírgula. Só nunca um ponto final. Sou grande. No literal e no metafórico. Me visto…

O que te faz querer dançar?

Humanidade... Conectividade... Sentimentos... Ensinamentos... Sensações... Emoções...
Ah como somos feitos de uma diversidade de "codinomes" né não? Somos humanos, nos conectamos em vários nós e meios. Sentimos um barco de coisas, que oscila entre negativo e positivo. Nos ensinamentos, ensinamos. Aprendemos com nossos erros e acertos. Acreditamos que cada sensação é uma emoção nova. Nesse coletivo da realidade, pode-se notar que objetivamente, a nossa vida é uma dança, porque tudo na natureza é movimento, ritmo, da contínua transformação em um eterno fluir. A dança é a fonte da vitalidade. Vitalidade é energia, é força, ação, expressividade, capacidade criativa, consciência. E de fato não somos tudo isso? Precisamos aprender a dançar-viver, em harmonia com essa vida-dança, cósmica. 
Através da espontaneidade, cria-se uma dança. Se propõe uma forma, um caminho para lidar com seu próprio corpo, com seu ritmo, com suas emoções e expressividade. Partimos então de uma linguagem …

Atestado de identidade

Bonjourmon cher's...
Ah a inspiração !!!! 
Quando vem ninguém segura... E dessa vez não foi diferente... Rede Social - Facebook - Navegando, um GIF me chamou atenção. Basicamente se trata de uma linha do tempo crítica de como nessa evolução tecnológica, tudo o que precisamos, encontramos em uma tela de ipad, smatphones, notbooks... Uma verdadeira conexão em rede. 
 (GIF da inspiração)
Então vamos a poética definição da letrinha do alfabeto, que deu nome à geração vigente.

"Ô" geração do dedinho fixado, do olho vidrado, das conexões, das várias definições.  Que busca sua individualidade, que quer tranquilidade.  Que curte e compartilha, luta e vive na pilha. Que impõe opinião, critica e ainda é chamado  de sem noção.  Que faz tudo ao mesmo tempo, e está sempre agitado, andar com o fone ligado, é o seu maior passatempo. Já sabem o que querem, pois vieram prontos, ai quanta criatividade, "Ô" geração dos memes.

JULIANA RODRIGUES 

Um pouco de "contracultura" por que não?

O que é "contracultura"?
A contracultura é uma manifestação que floresce sempre e onde quer que haja, membros de alguma sociedade, que escolham estilos de vida, expressões artísticas, formas de pensar e comportamentos diferentes dos demais, e que de uma certa forma, possam significar um desejo de mudança.

Bonjour mon cher's ...
Hoje 13/07 é conhecido mundialmente como dia do rock. Muitos dizem que foi nesse dia há exatos  sessenta e dois anos que Elvis Presley teria pisado pela primeira vez em um estúdio musical  para gravar suas canções.  Também nesse mesmo dia no ano de 1985 acontecia o grande evento musical  Live Aid que contou com a participação das bandas Queen, U2, David Bowie, Phil Collins, Bob Dylan entre outras lendas do rock.  Mas antes de começar falando do assunto do café de hoje... Impactar com o título só um pouquinho, e dissertar sobre uma assunto tão velho, mas que se faz tão presente todos os dias, principalmente nesse mundo onde nos encontramos com tan…