Poesia não dita

Não direis porque eu não quero. Poesia não dita.


E tornou-se poesia
a capa da solidão,
 uma mesa encostada,
da prosa a um acorde arranhão.

Tormentosa e gentil
era cega soletrar
dentre os dias
a verdade mais hostil.

Sentado ali preso se tinha,
os medos... Os mesmos...
Sotaques daquilo que se fazia.

E mais puro era sentir-se
em me perder... Conhecer...
Que mergulhar no esquivo,
bastava viver pra crer...

... Que era...

... Você. 

Comentários

Sútil e verdadeiro, exalando sentimentos fácil de se compreender. Que talento admirável.
Este comentário foi removido pelo autor.
Obrigadinhaaa mon cher <3 !!!

Postagens mais visitadas