Desabrochar de felicidade

Bonjour mon cher...

E mais uma vez me inspirei de detalhes, me inspirei de um post, tal qual fonte se encontrava novamente pela rede pública "FACEBOOK"...


Post da inspiração

O porque de flores? Nesse vasto mundo nos degustamos das mais variadas cores e formas, que a mãe natureza doa diariamente seu amor a nós. Em cada flor o seu beijo matinal. Com a correria e monotonia diária olhamos e não avaliamos, o quanto uma roseira quer nos ofertar. Olhamos e a achamos bela. Mas se contentar ao belo é tão pouco, em relação ao muito que cada ser vivo podem nos passar. É de infelicidade que acostumados que estamos, vemos apenas o lado prático das coisas, vemos a utilidade, como o de uma roseira é o de dar rosas, de uma quaresmeira dar flores, do lírio produzir seus lírios, sucessivamente. Assim, com a mesma naturalidade com que visualizamos a objetividade das ações dos outros para conosco. Quando pararmos e nos detemos mais um uma flor, já mentalizamos em nosso jardim. Por que não  simplesmente mentalizá-la no nosso jardim interior, e ao menor desejo, sacá-lo do inconsciente e vivenciá-la como se a estivéssemos vendo pela primeira vez?

Flor, beleza...
Flor, poesia...
Flor, alegria...
Pense em sua vida como uma flor...

Procure observá-la e admirá-la sempre, para que você possa buscá-la e encontrá-la sempre. Sempre que as direções se cruzarem, sempre que o rastro dos caminhos se apagarem para si. Não há sofrimento maior que sentir a solidão de não ter sensibilidade suficiente dentro de nós, para contemplar uma flor. Flor. Deixe uma brotar dentro de você.  


Eis então que eu não sou boa com as palavras distantes ditas ou descritas em notas de papel, lápis na mão só consigo dar vida aos rabiscos de linhas sem nó, queria poder dizer de perto em um diário de um dia, como quem soubesse dar asas as cordas musicais, mas trago apenas uma flor, porque quando as palavras fogem, as flores simplesmente falam.

Plante flores no seu sorriso pela manhã, no bom dia ao abrir a janela e ver o sol... plante flores nos jardins da vida e se não houver frutos, valeu a beleza das flores. Se não houver flores, valeu a sombra das folhas e se não houver folhas, valeu a intenção da semente.



CAFÉ ROSA|
JULIANA RODRIGUES|

Comentários

Postagens mais visitadas