Ah! Aquela janela...

Bonjour mon cher's...

Desculpa a ausência, mas a vida anda tão corrida, e não estou tendo tempo para aparecer por aqui, mas vou tentar me reorganizar...

Olhar uma janela as vezes pode ir muito mais além do que uma abertura edificada, ou um vão de caixilhos... simplesmente pelo fato de se observar tudo e a todos, há muito o que enxergar.

Parafraseando os dias


Foto (produzida por um Smartphone) tirada da janela do carro em movimento | Cidade Noturna | Ribeirão Preto, São Paulo

Olhando para o distante, o que fica fora de foco e limita sua visão a de uma janela estreita... Orvalho? Ou Valho? Porta aberta. Noite fria. Manhã quente. Sou eu enfim. Mas qual janela não traz a surpresa de um novo mundo? Da janela de cá: papel... contas a pagar. Da janela de lá: calmaria... vento... céu azul... sol e mar. Visão? Ah! Visão... prédios, e prédios... talvez dentre eles uma janela colorida... e na janela uma flor... ou talvez um raio de luz que nos "reavive"... amarelo como girassóis no campo. Ai e dessas sensações me traga aqui um violão, que eu quero escrever uma canção... parafrasear meus pensamentos em papéis e sons... se estiver por perto venha me visitar... e se não quiser entrar, deixe livros em minha janela... porque eu vou ficar sempre daqui observando... nem é todo dia que aprendo com os livros... mas sim observando cenas e comportamentos.


Foto (produzida por uma Câmera) tirada da janela do carro | Cidade Diurna Paysandu, Uruguai

Trilha sonora de hoje...


Au Revoir...

CAFÉ ROSA |
JULIANA RODRIGUES |











Comentários

Postagens mais visitadas