Pular para o conteúdo principal

Mais uma dose... é claro que eu estou a fim ♫

Olá...

Um tempo sem escrever, por conta dos horários corridos do fechamento do bimestre da faculdade, do início das minhas férias e das preparações para o curso do VI TLC de Monte Alto, mas eis que estamos de volta...

Falando e se tratando de um assunto que particularmente me aguça todos os sentidos, degustaremos de um imenso e maravilhoso mundo de timbres. Sou amante da música e ela faz parte do meu cotidiano, se estou projetando é com a música, se estou pensando ou fazendo qualquer outra coisa tem que ter música. Então por dedução o assunto posto em mesa de hoje é M Ú S I C A.



Mas como é um assunto muito extenso, fragmentarei a sua história em estágios, intercaladas por outros assuntos também com seus sabores. A música é considerada a arte mais antiga e a mais primitiva de todas. Desenvolveu-se a partir dos principais ritmos e vibrações do mundo. É por isso que se costuma ouvir que “a música na terra é tão antiga como o homem”. Numa tentativa de te facilitar o estudo da música, vou reconstituir a sua história passando por todas as época, ou seja, desde a Pré-história até à música moderna do século XX.


Começamos então com a música clássica... 
O termo ‘Clássico’, em música, é empregado em dois sentidos diferentes. As pessoas, as vezes, usam a expressão "música clássica" considerando toda a música dividida em duas grandes partes: "clássica" e "popular". No entanto, para o músico, música clássica tem um sentido especial e mais preciso. É a música composta entre 1750 e 1810, que inclui a música de Haydn e Mozart, bem como as composições iniciais de Beethoven. Diga-se na história que a serviço da alta nobreza, o músico não passava de um criado que,  depois de fornecer música para fundo de jantares e conversas, ia jantar na cozinha com os demais empregados da casa. Para agradar seus patrões, precisava seguir as tradições musicais. Em sua obra respeitava e refletia as emoções da corte. A imaginação criadora não seria bem vinda se representasse a quebra das estruturas  tradicionais. Haydn aceitou esse trato e cumpriu suas obrigações. Mozart não aceitou estes limites e pagou um preço alto pela obstinação em se manter fiel à seus princípios. As cortes o elegaram ao esquecimento e o deixaram morrer como um mendigo. Beethoven foi o primeiro a decidir que não devia obrigações a ninguém e exigiu ser respeitado como artista. Nascia, com Beethoven, o pensamento romântico. 


A Música Clássica mostra-se refinada e elegante e tende a ser mais leve, menos complicada que a barroca. Os compositores procuram realçar a beleza e a graça das melodias. A Orquestra está em desenvolvimento. Os compositores deixaram de usar o cravo e acrescentaram mais instrumentos de sopro. Durante o Período Clássico, a música instrumental passou a ter maior importância que a vocal. Nesta época criou-se a Sonata. É uma obra com vários movimentos para um ou mais instrumentos. A Sinfonia é, na realidade, uma soata para orquestra. Seu número de movimentos passam a ser quatro: rápido - lento - Minueto - muito rápido. Haydn, Mozart e Beethoven foram os maiores compositores de sinfonias do Classicismo. O Concerto consiste em uma composição para um instrumento solista contra a massa orquestral. Tem três movimentos: rápido - lento - rápido. Muitas obras foram escritas para o pianoforte, em geral chamado piano para abreviar. Bartolomeu Cristfori, construtor de cravos italiano, por volta de 1700 já havia concluído 
a fabricação de pelo menos um destes instrumentos. Enquanto as cordas do cravo são tangidas por bicos de penas, o piano tem suas cordas percutidas por martelos, cuja dinâmica pode ser variada de acordo com a pressão dos dedos do executante. Isso daria ao piano grande poder de expressão e abriria uma série de possibilidades novas. No começo o piano custou para se tornar popular porque os primeiros modelos eram 
muito precários. Mas, no final do século XVIII o cravo já havia caído em desuso, substituído pelo piano. 

Principais Compositores Clássicos:
Carl Phillip E. Bach (1714 - 1788) https://www.youtube.com/watch?v=6JQm5aSjX6g
Christoph W. R. Gluck (1714 - 1787) https://www.youtube.com/watch?v=UbM60lF5p0o
Franz Joseph Haydn (1732 - 1809) https://www.youtube.com/watch?v=EmZF3kBZQ6E
Wolfgang Amadeus Mozart (1756 - 1791) https://www.youtube.com/watch?v=Rb0UmrCXxVA
Ludwig Van Beethoven (1770 - 1827) https://www.youtube.com/watch?v=W-fFHeTX70Q
Joaquim A. de Mesquita (1746 - 1805) https://www.youtube.com/watch?v=3w0T7z4RSEE
Padre José Maurício Nunes Garcia (1767 - 1830) https://www.youtube.com/watch?v=HwAlTYTgJNk
Antonio Soler Ramos (1729 - 1783) https://www.youtube.com/watch?v=Digonarxa5Y
Muzio Clemente (1729 - 1783) https://www.youtube.com/watch?v=nfF6y_-fG58
Frédéric Chopin (1810 - 1849) - pianista clássico romântico https://www.youtube.com/watch?v=wygy721nzRc
Antonio Vivaldi (1678 - 1741) - https://www.youtube.com/watch?v=O6NRLYUThrY


Entre outros...

Essa foi uma breve amostra do vasto e rico mundo da música...

BONJOUR porque todo dia é um BOM DIA !

CAFÉ ROSA| 
JULIANA RODRIGUES|


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

É "a vida é um sopro"

(foto: autora)
Sabe aquela pergunta clichê de toda reflexão: QUANTO TEMPO AINDA TEMOS PARA VIVER? De certa forma, esta é uma pergunta que nem merece resposta. Pode ser que nem eu consiga terminar este texto... Ou pode ainda ser, que você consiga lê-lo de maneira exaustiva. O fato é que, temos o tempo suficiente para estarmos aqui... vivendo... conhecendo... aprendendo... Se ele é muito ou pouco, para mim não importa. O tempo é relativo, a cada grau de importância em suas fagulhas. O tempo é quem dita a validade dos seus aprendizados, amadurecimentos, crescimentos, escolhas, atitudes e até mesmo e por que não, pessoas.   
Se de cada experiência adquirida nas janelas da nossa vida, além de subirmos de level e avançarmos para a casa seguinte, levássemos em pedacinhos de memórias, os sorrisos, abraços, beijos, acolhidas, conversas de estrada, paisagens recortadas nos km rodados por ai, os olhos que sorriem pra alma, as músicas que embalaram cada chegada e despedida, somariam todos os milési…

OMG, I'm So Retrô

Bonjour mon cher...
Ah quanto tempo não me inspirava de postagens, filmes, videos, fotos, músicas etc... Mas hoje dia após feriado, em casa (uma folga da correria enfim da "arquitortura"), abro o spotify como de costume para escutar músicas, e o aplicativo me sugere uma playlist, cujo nome um tanto inspirativo "JUNKEBOX BURGUER", sim daquelas lanchonetes retrôs décadas 30,40,50,60, onde se tinha uma caixa "gigante" de fazer música, mobiliários da época, e ali se fazia o point da juventude. E começo escutar Elvis Presley, Chuck Berry, Roy Orbison, Ritchie Valens... E a cena começa vir na cabeça, vestidos, estampas, mocassins, suspensórios, óculos aviadores, as Kombis coloridas, os "possantes" dos meninos pra impressionar as meninas, laquês nos topetes, sorvetes coloridos, entre tantas cenas que meu coração adoraria ter vivido. É essa foi uma boa fonte de inspiração, mas se não bastasse músicas, ontem quinta, (04/06/2015) assisti a dois vídeos de …

#Desabafo: Estamos ficando com preguiça de "socializar"

Bonjour mon cher's...


O quanto do que acontece a nossa volta nós perdemos por estarmos com os olhos grudados nas telinhas dos smartphones?  Quantos livros você leu nesses últimos 30 dias? Quantas vezes você pegou um jornal para foleá-lo? Quanto seu dia foi produtivo? Quantos cálculos seu cérebro fez hoje?
É com esses questionamentos que começo o papo de café de hoje. Já parou pra pensar o quanto de tempo perdemos digitando nossos desabafos, inquietações e alegrias, publicamente? Ou ainda expor de que jeito estamos no dia? Ou então perceber o quanto estamos conectados e não conseguimos sequer ler por horas aquele livro favorito, mas ainda assim ficar "abitolado" em uma telinha de 5,5", lendo bobagens atualizadas de 5 em 5 segundos. 
Essa facilidade e acessibilidade à tecnologia, nos transformou em verdadeiros "robozinhos", que tem sua vida controlada por uma mini-tela na palma da mão. A ideia de poder fazer tudo por um aparelhinho, é realmente incrível e fantástic…